©2018 by Bruno Sanches.

Bruno Sanches, vencedor do 5º Prêmio MIMO Instrumental, é um artista que busca conhecer a alma brasileira através da música e das manifestações culturais populares. É Mestre em Etnomusicologia e Bacharel em Música pela USP. Em 2019 lançou seu primeiro disco solo, intitulado Do Barroco às Barrancas do Rio. Entre suas atividades de 2019 vale destacar: participação no programa Sr. Brasil da TV Cultura, concertista do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão; concertista no Festival Internacional “Voces em el Camino” (Santa Fé – Argentina); Palestrante e concertista na 5ª Jornadas sobre Música Popular: el ritmo y la canción (Facultad de Bellas Artes – Universidad Nacional de La Plata - Argentina); concertista do circuito “SESI MÚSICA – Série Erudita” do SESI-SP; músico convidado ETHNO BRAZIL; semifinalista como compositor e 2º colocado enquanto intérprete no Festival da Canção Brasileira do SESI; concertos em diversas unidades do SESC-SP; iniciou um novo projeto em Presidente Prudente, a Camerata de Cordas Brasileiras, do qual é idealizador e diretor musical, juntamente com Anderson Chizzolini. Em 2018 lançou seu primeiro disco solo de viola brasileira, intitulado Do Barroco às Barrancas do Rio; foi escolhido para participar do CD Viola Paulista, produzido pelo Selo SESC; venceu o Prêmio Mimo Instrumental; fez a direção musical do espetáculo Tributo ao Mestre Zé Mira; e compôs a banca examinadora que escolheu o professor de viola brasileira do Conservatório de Tatuí. Em 2017 foi um dos concertistas convidados do VII Encontro de Musicologia de Ribeirão Preto: A Viola Caipira na Universidade – Entre o Local, o Regional e o Universal (USP); produziu o vídeo-documentário Acordai, irmão das alma (ProAC); idealizou e iniciou o movimento Violada - Circuito Autoral das violas Brasileiras, juntamente com Fábio Miranda. Em 2016 trabalhou como professor substituto de viola brasileira na USP; diretor musical assistente da Orquestra de Violas de São José dos Campos; professor do curso de Bacharelado em Música da FAVCOLESP; diretor da trilha sonora da Exposição Resiliência, elaborados pelo Museu da Pessoa, em exposição no Musée de La Civilisation, no Canadá; e desenvolveu o Complemento didático de viola caipira do Projeto Guri - AAPG. Em 2015 lançou o disco Caipira Urbano, com o Ser Tão Trio. De 2013 a 2019 foi professor de Viola Brasileira da Escola Municipal de Artes Professora Jupyra Cunha Marcondes, em Presidente Prudente. Em 2012 produziu o documentário Fandangos Caipiras (ProAC) e atuou como professor de Viola Caipira do Ponto de Cultura Meninos da PorteiraAlém dos já citados editais do ProAc, foi contemplado em editais do Minc e Funarte com suas pesquisas e trabalho musical. O cuidado de suas execuções se manifesta em cada nota, em cada dinâmica, em cada toque, características pelas quais tem se destacado no cenário musical.